"O bem e o mal - uma reflexão"

O bem versus o mal. Esse antagonismo foi posto por Papai Deus no homem quando Adão estragou a raça humana. Adão pecou e isso foi imputado (veja bem: foi imputado) a toda criatura que nascia. Paulo diz que por um homem entrou o pecado e por outro saiu. Ali está claro. Em Romanos 9 estavam ali gêmeos no ventre de Sara: Jacó e Esaú. Paulo escreve que não haviam feito nem bem nem mal. Eram fetos. Veja: não haviam feito nem bem nem mal, mas Deus amou a Jacó e aborreceu a Esaú. Paulo enfatiza ali a soberania, vontade e prazer de Deus em fazer como Ele quer. Agora, ali havia pecado, mas independentemente de serem os dois pecadores quando viessem à luz, um era filho de Deus e o outro filho do Diabo.Um vaso de honra o outro vaso para perdição. Do mesmo ventre sairiam duas sementes diferentes. Isso quer dizer que não depende do comportamento. (que os religiosos chamam de pecado) Depende de quem chama. Depende se foste escolhido. Depende se aprouve a Deus ter salvo a ti antes da fundação do mundo como Paulo escreve a Timóteo. Adão pecou para que os seus filhos conhecessem o mal. Para que fôssemos como Ele, conhecendo o bem e o mal. Adão é um exemplo. Antes de transgredir ele só conhecia o bem. Pecou, conheceu o mal e isso passou a todos. Agora, o filho de perdição pode até ter bom comportamento, pode ser um doador de si mesmo, pode transfeirir todos os seus bens para instituições de caridade, pode ser um bom vizinho, mas se veio como filho de perdição, é um vaso preparado para a destruição, como diz o apóstolo Paulo. A questão é que todos os religiosos acham que ainda há pecado. E se eu acho que há pecado estou inviabilizando todo o sacrifício de Jesus naquele madeiro e não crendo em sua ressurreição. Todo o capítulo 15 da primeira carta aos Coríntios mostra os efeitos da ressurreição. A ressurreição é chave para o cristão. Paulo diz que se Cristo não tivesse ressuscitado em vão seria a nossa fé. Por quê? Porque a ressurreição de Jesus foi feita para Justificar a todos os escolhidos. E o que é justificar? É tirar o pecado e te fazer justo. Paulo escreve que os justos viverão por fé. E fé é não fazer obras. Fé é esperar no que não se vê. Fé é confessar aquilo que Deus diz o que somos para que nossa declaração se manifeste em nossa vida. Paulo escreve em Hebreus 6.4-6 - Porque é impossível que os que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro, e depois caíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; visto que, quanto a eles, estão crucificando de novo o Filho de Deus, e o expondo ao vitupério. A primeira análise desse texto: a do evangelho da circuncisão (do sistema que está aí) O irmão caiu e não há mais salvação para ele porque Jesus não pode voltar para a cruz. Agora,há a análise correta: sob a luz do evangelho da incircuncisão, o de Paulo e explicado por Jesus Cristo homem: O irmão foi iluminado (só quem tem o Espírito de Deus é iluminado). Algum ímpio pode provar o dom celestial e ser participante do Espírito Santo? Algum vaso de desonra pode ser selado com o Espírito Santo, crendo na Palavra que ouve? Cair ou descair da graça de Deus é um movimento que acontece. O filho pródigo é um exemplo fantástico disso. Quando retornou houve festa. Paulo diz que é impossível que sejam renovados para arrependimento porque crucificariam de novo a Jesus. Não há mais o que fazer porque já foi feito. Com uma só oferta Ele nos fez perfeitos para sempre (Hb 10.14) Paulo diz que aquilo que plantarmos, colheremos. O apóstolo dos gentios também escreve que temos que exercitar nossos sentidos no conhecimento do bem e do mal, para que possamos estabelecer atitudes corretas no nosso viver diário e termos de nosso anjo a melhor cobertura. É também do grande apóstolo a revelação de que tudo nos obra para o bem. Veja bem que é tudo - até o mal - vai redundar para o nosso bem. Surge então a seguinte pergunta: Se tudo já foi consumado, se nosso espírito é perfeito para sempre, se somos sempre conduzidos em triunfo, qual é, então, a função do evangelho? Romanos 2.16 – No dia em que o Senhor julgará os segredos dos homens, conforme meu evangelho, por Jesus Cristo. O evangelho é para julgar os segredos dos homens. Para que possamos governar nossa carne, administrar o que não muda, fazer o que nos convém sabendo que tudo nos é lícito. Julgar não é condenar, porque nenhuma condenação há (Rom 8.1). Julgar é dividir, analisar, estabelecer diferenças, ensinar, destapar, trazer à luz. Quando ouves alguém estás julgando. Quando lês algo, estás julgando. Então viria Jesus Cristo Homem para julgar com o evangelho de Paulo (Gl 2.7) os segredos dos homens (não dos espíritos, mas do ser humano). Segredo é aquilo que todos têm na mente. Quando alguém ouve a Palavra de Jesus Cristo homem isso lhes tira algo, tira uma medida espiritual que produz comportamentos: crê ou rechaça. A pessoa pode não crer na primeira vez, mas ouviu. E Paulo diz que a fé é pelo ouvir e ouvir a Palavra de Deus – o seu evangelho. E somente um homem está pregando essa Palavra, porque todos misturam os dois evangelhos. Esse homem é Deus mesmo em carne – Jesus Cristo Homem, o único mediador entre Deus e os homens. Paulo nos diz também que o evangelho é para mostrar a todo homem o que Deus nos concedeu. 1 Co 2.12 - Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, mas sim o Espírito que provém de Deus, a fim de que compreendamos as coisas que nos foram dadas gratuitamente por Deus; ( já foram dadas, concedidas, não vão ser, já foram) Hello! O que nos concedeu, não o que vai nos conceder, porque tudo está feito, tudo está consumado. O problema é que o crente desconhece isso e, pelas obras (jejuns/orações intermináveis,batismos, vigílias, expulsão de demônios, imposição de mãos, e....) tenta acrescentar o que Paulo manda deixar (Hb 6.1,2). Se o crente se ativesse ao evangelho de Paulo não praticava essas obras. O crente foi chamado a entrar no repouso – a confessar com a boca o que a mente está cheia. O que Ele já preparou de antemão para ele. Paulo diz que aquele que começou a boa obra vai terminá-la em ti. Mas é Ele fazendo em ti e não tu querendo praticá-las.
publicado por brasileiro às 15:32